Descarte irregular de lixo pode ser denunciado pelo Whatsapp em Imbé

Fiscais fazem plantão nos finais de semana

Até móveis são jogados nas ruas. Foto: Prefeitura Municipal de Imbé

Através do Whatsapp os moradores e veranistas de Imbé podem denunciar o descarte irregular de lixo no município. Pelo aplicativo de mensagens, é possível enviar o endereço, informações sobre a denúncia e até imagens para embasar o trabalho dos fiscais da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Pesca (SEMMAPA).


No último fim de semana, a equipe de fiscalização percorreu ruas e avenida de Imbé para averiguar denuncias e autuar os infratores que descartam resíduos irregularmente em via pública ou em terrenos. A promessa da Prefeitura é fechar o cerco a este tipo de irregularidade. (Veja na galeria de fotos, flagrantes de irregularidades)

O prefeito Pierre Emerim explica que, a partir de agora, o município intensificará as ações de combate ao descarte irregular. A SEMMAPA passa a atender com um telefone de plantão para acompanhar as denúncias.

Denúncias e orientações sobre descarte de resíduos podem ser feitas através de ligações ou mensagens no Whatsapp, pelo número (51) 99999-2288, e também pela página da SEMMAPA no Facebook. Outra opção é procurar a Ouvidoria Municipal, no Prédio Anexo I, de segunda a sexta, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 18h, pelo telefone 3627-8243 ou através do e-mail ouvidoria@imbe.rs.gov.br.

Saiba onde descartar resíduos

O município possui uma Central de Triagem de Resíduos de Construção Civil, que fica na Rua Machado de Assis, ao lado da EMEF Norberto Martinho Cardoso, no bairro Nova Nordeste. O local, que recebe somente resíduos gerados em Imbé, funciona de segunda a sexta, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 19h. Nos sábados e domingos o horário é das 13h30 às 19h.

Segundo o biólogo Pedro Terra Leite, a Central recebe resíduos da classe A (recicláveis da construção civil, inertes, como tijolos e solos de terraplanagem), classe B (recicláveis para outros fins, como plástico e papel), classe C (resíduos que ainda não são recicláveis, como gesso), classe D (resíduos perigosos oriundos da construção civil, como óleo e solventes) e resíduos provenientes de poda, além de pneus inteiros ou devidamente ensacados, colchões e sofás inutilizados. “Já materiais como baterias, pilhas e resíduos industriais (como esquadrias e metais não recicláveis) tem o descarte proibido neste local”, complementa.

Os caminhões acima de 4m³ pagam o valor de R$ 68,47 por descarte e para tele-entulho há o pagamento de uma taxa diferenciada. Descartes de até 1m³ eventuais são isentos de pagamento.

COMPARTILHAR