Prefeitura de Balneário Pinhal afirma que caso de estudante esfaqueda é isolado

Secretaria municipal de Educação acompanha o caso de adolescente ferida com facadas na frente do colégio

Faca usadas nas agressões foi apreendida. Foto: Polícia Civil

A Prefeitura de Balneário Pinhal classifica o caso da menina esfaqueada em frente à Escola José Antônio da Silva, no bairro Sindipolo, como uma situação isolada. A secretária da Educação, Simone Santos, esclareceu que, embora os casos de agressões não sejam comuns, o município desenvolve, junto à rede escolar, o CIPAVE – Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar, buscando orientar a comunidade sobre as mais diversas situações que podem ocorrer no ambiente de ensino.

Em nota enviada ao Litoral na Rede, a assessoria de imprensa informou que a Secretaria está acompanhando o caso e prestando assistência aos envolvidos. O texto também reitera que a agressora de 12 anos e a vítima de 15 anos nunca haviam brigado dentro da escola e que inclusive estudavam em turnos diferentes. O desentendimento entre as estudantes teria começado no bairro onde moram.

De acordo com a Prefeitura, quando a menina de 12 anos desceu do veículo de transporte escolar, foi em direção à adolescente de 15 anos com a faca em punho, a agredindo na calçada, fora das dependências da escola. “No momento, a monitora que estava próxima e, juntamente com alguns alunos, realizaram a intervenção e retiraram a faca da mão da agressora” informa o texto.

A vítima sofreu ferimentos leves entre o tórax e o abdômen, foi atendida no Posto de Saúde de Balneário Pinhal e encaminhada pelo SAMU para o Hospital de Tramandaí, onde foi atendida, retornou pra casa e passa bem.

Leia mais sobre o caso:Adolescente é esfaqueada na saída da escola em Balneário Pinhal

Clique aqui e veja mais notícias do Litoral Norte.

Quer receber gratuitamente as notícias do Litoral na Rede no seu Whatsapp? Clique e saiba como se cadastrar. 

COMPARTILHAR