Vídeo: baleias francas fazem espetáculo no Litoral Gaúcho

Há pelo menos oito registros da presença das baleias em francas em praias da região

Baleia franca e filhote no mar na praia da Atlântida. Foto: Bernardo Diehl / Colaboração Litoral na Rede

A temporada das baleias francas no litoral brasileiro já começou e, nas últimas semanas,  há pelo menos oito registros da passagem desses mamíferos na costa do Rio Grande do Sul. O Litoral na Rede apurou que as fêmeas e seus filhotes foram vistos em Cidreira, Tramandaí, Torres e Xangri-lá.

No último domingo (29), surfistas que estavam no mar próximo à Plataforma de Atlântida avistaram uma franca e o filhote, nadando pouco depois da última arrebentação. Um deles, Bernardo Diehl, decidiu sair da água e com um drone registrar o espetáculo da natureza.

O vídeo cedido pelo surfista ao Litoral na Rede mostra a gigante do mar e o bebê baleia em sintonia entra as ondas. “Quando eu estava surfando, era possível ver que existia uma movimentação grande na água e, com certeza, era uma baleia. Inicialmente, achei que fosse somente uma”, contou  Bernardo ao Litoral na Rede.

Foi ao usar o drone que o surfista percebeu que o filhote estava junto. Segundo ele, o registro das baleias em Xangri-lá foi feito a aproximadamente 400 metros da beira da praia.

Em Torres, observadores do Projeto Farol das Baleias, do Grupo de Estudos de Mamíferos Aquáticos do Rio Grande do Sul  (Gemars) já constataram a passagem de pelo menos cinco baleias e filhotes durante o mês de julho.  O monitoramento é feito no Morro do Farol, onde visitantes, com um pouco de sorte, também podem ter a oportunidade de avistar as francas durante a temporada de reprodução.

Veja o vídeo

A migração das baleias francas

As baleias francas chegam a ter 18 metros de comprimento e pesar até 60 toneladas. Um filhote consome em média 200 litros de leite por dia. No inverno, esses animais migram das águas mais geladas do extremo sul do planeta para a costa brasileira em buscas de águas mais quentes, que se transformam em berçário para o nascimento das baleias.

Karina Groch, diretora do Instituto Australis, que coordenada o Projeto Baleia Franca em Santa Catarina, explica que a mamães e os bebês passam de dois a três meses na costa brasileira. “A mãe fica cuidando do filhote, alimentando, para que ele fique forte, com uma camada de gordura que proteja contra as baixas temperaturas para voltar lá para a Antártida onde ela se alimenta”, detalhou a pesquisadora.

Conforme os cientistas, as francas não se alimentam durante o período que estão com os filhotes no litoral brasileiro. Esses mamíferos marinhos consomem principalmente uma espécie de micro camarão, chamado Krill, que existe apenas nas águas mais geladas.

No Rio Grande do Sul, a visualização das baleias é mais difícil do que em Santa Catarina, em função das condições do mar, mais turvo e agitado.  Em Santa Catarina, a presença das baleias mais perto da orla resultou na criação, há 18 anos, da Área de Preservação Ambiental da Baleia Franca, com uma extensão de 130 quilômetros.

COMPARTILHAR