Balneário Pinhal está em situação de alerta em relação ao mosquito da dengue

Secretaria Estadual da Saúde aponta que 13 dos 23 municípios do Litoral Norte registram infestação do Aedes aegypti

Imagem ilustrativa

Dos 23 municípios do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, 13 são considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. O levantamento foi feito pelo Litoral na Rede a partir de relatório divulgado nesta semana pela Secretaria Estadual da Saúde (SES/RS). A situação mais crítica é a de Balneário Pinhal, com índice de infestação classificado como de alerta de transmissão dessas doenças.

Em todo o Estado, há 99 cidades onde a infestação do mosquito Aedes aegypti é considerada como situação de alerta ou de alto risco. No caso de Balneário Pinhal, foram encontrados focos do inseto em 1,9% dos imóveis vistoriados.

Segundo a SES/RS, se enquadram na situação de alerta os municípios com mais de 1% dos imóveis com a presença do Aedes aegypti. O alto risco é para cidades com índice superior a 4%. Não há nenhuma do Litoral Norte nessa última situação.

Pelo relatório, uma cidade é considera infestada pelo mosquito da dengue se registrou focos do inseto ao longo de 2019. Já a classificação de alerta e alto risco é feita com base nos dados do último trimestre de 2019.

Os dados reforçam a importância das ações de prevenção. O verão é a estação do ano em que é preciso ainda mais atenção. Nesta época, a proliferação do mosquito aumenta em virtude das temperaturas mais altas. O principal cuidado deve ser em relação a locais com água parada, que é onde o Aedes deposita seus ovos.

Em 2019, mais de 1,3 mil casos das três doenças transmitidas por esse mosquito foram confirmados no Estado.

Medidas de prevenção contra o mosquito

A transmissão da dengue, zika e chikungunya ocorre pela picada do Aedes aegypti. O mosquito tem em média menos de 1 centímetro de tamanho, é escuro e com riscos brancos nas patas, na cabeça e no corpo. Para se reproduzir, ele precisa de locais com água parada, não necessariamente suja.

Muitos desses locais são dentro de pátios e até dentro das residências. Por isso, o cuidado para evitar a sua proliferação busca eliminar esses possíveis criadouros, impedindo o nascimento do inseto. Entre as medidas, recomenda-se:

  • Tampar caixas d’água, tonéis e latões,
  • Guardar garrafas vazias viradas para baixo,
  • Guardar pneus sob abrigos,
  • Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia,
  • Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises,
  • Manter lixeiras fechadas e
  • Manter piscinas tratadas o ano inteiro.

Veja os municípios do Litoral Norte com infestação pelo Aedes aegypti e o índice de infestação no último trimestre de 2019

  • Arroio do Sal – 0,1%
  • Balneário Pinhal – 1,9%
  • Capão da Canoa – 0,1%
  • Cidreira – 0
  • Imbé – 0,1%
  • Mostardas – 0
  • Osório – 0
  • Santo Antônio da Patrulha – 0,2%
  • Terra de Areia – 0
  • Torres – 0,1%
  • Tramandaí – 0
  • Três Cachoeiras – 0,6%
  • Xangri-lá – 0

Mesmo com índice zero de infestação no período de outubro a dezembro de 2019, os municípios de Cidreira, Mostardas, Osório, Terra de Areia, Tramandaí e Xangri-lá são considerados infestados porque houve a localização de focos do Aedes aegypti em outros períodos do ano passado. 

A Prefeitura de Balneário Pinhal, através da Secretaria Municipal da Saúde, se manifestou na tarde desta terça-feira (14) sobre a situação de alerta (clique aqui)

Para receber as notícias do Litoral na Rede no seu Whatsapp, envie seu nome, o seu município e #notícias para 51-99113-0101 e coloque nosso número na sua agenda.

Leia mais notícias do Litoral Norte.

COMPARTILHAR