Covid-19: Litoral Norte tem piora nos indicadores e volta para bandeira laranja

Principal fator para a mudança da classificação de risco da região foi o aumento no número de hospitalizações por Covid-19 e ocupação de leitos de UTI

Avenida Emancipação, no Centro de Tramandaí. Foto: Litoral na Rede

O Litoral Norte do Rio Grande do Sul voltará a adotar as restrições referentes à bandeira laranja (risco médico) no modelo de Distanciamento Controlado adotado pelo governo do Estado. O anúncio foi feito no início da noite deste sábado (30) e a nova classificação vale entre segunda-feira (1º) e domingo (07).

No último fim de semana, a análise dos indicadores realizada pelo governo garantiu a vigência da bandeira amarela (risco baixo) até este domingo (31). Houve, no entanto, piora nos índices referentes ao novo coronavírus.

De acordo com o Executivo Estadual, o fato predominante para a mudança no Litoral Norte foi a soma do número de novas hospitalizações SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e Covid-19 nos últimos 14 dias, que foi maior que cinco. Além disso, houve piora em três indicadores, entre os quais o número de hospitalizações confirmadas por Covid-19, que saltou de zero para oito, e o número de internações em leitos de UTI por SRAG, que subiu de 2 para 12.

O número total de casos não é considerado um indicador para classificação por bandeiras, mas a quantidade de pessoas contaminadas com o coronavírus no Litoral Norte teve crescimento expressivo nas duas últimas semanas.

Conforme a 18ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), nessa sexta-feira (29) havia 197 casos confirmados, quase o dobro do 14 de maio, quando eram 100 registros acumulados de Covid-19. O boletim relata ainda que 120 já estão curados e há 77 pacientes em recuperação.

A região contabiliza ainda sete mortes de pacientes diagnosticados com a Covid-19: duas em Tramandaí e as demais em Capão da Canoa, Torres, Osório, Cidreira e Arroio do Sal.

Bandeira Laranja

Na bandeira laranja, que é a do Litoral Norte na próxima semana, no serviço público, por exemplo, os serviços não essenciais devem funcionar com 50% dos servidores. Já atividades como segurança e inspeção sanitária devem manter 100% dos funcionários trabalhando.

Nesta classificação, restaurantes com serviço a la carte e de prato feito podem operar com 50% dos trabalhadores, conforme recomendação do governo do Estado. Já hotéis poderão funcionar com a ocupação máxima de até 50% dos quartos.

Também na bandeira laranja, academias de ginástica, salões de beleza e barbearias podem abrir com 25% dos trabalhadores. Já as missas e cultos poderiam reunir até 25% da capacidade de público.

Podem ainda operar com efetivo reduzido de trabalhadores, bancos e lotéricas (75%), imobiliárias (50%), escritórios de advocacia e contabilidade (50%) e agências de turismo (25%).

Ainda dentro do patamar de risco médio, o governo gaúcho autoriza a operação de centros comerciais, com metade da capacidade e dos trabalhadores. Também permite a operação do comércio de rua não essencial com até 75% dos funcionários, conforme o ramo de atividade.

Todas as operações autorizadas devem seguir regras de prevenção à propagação do novo coronavírus estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde e pela prefeitura de cada município. Entre elas, está a higienização dos ambientes, disponibilidade de álcool gel e distância de, no mínimo, um metro entre as pessoas que estiverem com equipamentos de proteção individual. Para as demais, a distância recomendada é de dois metros.

Rio Grande do Sul

Das 20 regiões em que o Rio Grande do Sul foi dividido no Distanciamento Controlado, 14 terão a bandeira laranja na próxima semana. A região de Uruguaia, assim como o Litoral Norte, também saiu do risco baixo para o risco médio. As outras seis seguem com bandeira amarela.

Receba as notícias do Litoral na Rede no seu WhatsApp. Adicione o número 51-99113-0101 na sua agenda e envie uma mensagem com o seu nome, seu município e #notícias.

COMPARTILHAR