Força-tarefa apreende 9 toneladas de alimentos e 3 mil litros de bebidas no Litoral

Ministério Público divulgou resultado da fiscalização na região

Foto: Ministério Público RS

A coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor e da Ordem Econômica, Caroline Vaz, participou, de 04 a 08 de fevereiro, das operações da primeira semana da Força-Tarefa Segurança Alimentar realizada nas praias do Litoral Norte do Estado em 2019. A FT integrou as ações realizadas pelo MP no Litoral e os resultados foram divulgados no  fim da tarde desta sexta-feira (08).

As equipes atuaram na fiscalização de estabelecimentos comerciais de cinco municípios. Os números preliminares finalizados nesta sexta-feira apontam o total de cerca de 9 toneladas de alimentos impróprios ao consumo e 3 mil litros de bebidas alcoólicas sem procedência.

“A intenção é visitar os estabelecimentos comerciais, restaurantes, bares, supermercados, tendas, quiosques, padarias, todos aqueles estabelecimentos que forneçam alimentos para os consumidores, orientando sobre as regras sanitárias, agropecuárias e todas aquelas que interessam a saúde e a vida dos consumidores, já atuando de forma integrada aos demais órgãos de fiscalização”, explicou Caroline Vaz, que ressalta que vários estabelecimentos já se adequaram após fiscalizações em outras temporadas.

A ação foi executada pelos coordenadores do Grupo de Atuação especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco – Segurança Alimentar), Alcindo Luz Bastos da Silva Filho e Mauro Rockenbach, acompanhados do promotor de Justiça Felipe Teixeira Neto. Os promotores de Justiça, Mari Oni Santos da Silva, de Tramandaí, Vinicius de Melo Lima, de Torres, Leonardo Chin e Luziharin Tramontina, de Capão da Canoa também participaram das ações.

Também atuaram na operação os representantes das Vigilâncias Sanitárias Municipais, Vigilância Sanitária Estadual, Secretaria Estadual da Agricultura, Procon Estadual, Patram e Delegacia do Consumidor da Polícia Civil.

Irregularidades

Os problemas encontrados foram: produtos com prazo de validade vencido, armazenados de forma irregular, embutidos fora da temperatura adequada, balcões com problemas de refrigeração, carnes e bebidas alcoólicas sem procedência, iogurtes e bebidas lácteas sem condições de comercialização e até ovos armazenados no banheiro de um dos estabelecimentos. Insetos dentro de embalagens de alimentos, além de diversos problemas de infraestrutura e falta de higienização também foram encontrados pelos agentes.

A listas de todos os estabelecimentos fiscalizados em Tramandaí, Balneário Pinhal, Imbé, Torres, Arroio do Sal, Itati e Capão da Canoa pode ser conferida no site do Ministério Público. Clique aqui para acessar. 

Fonte: MP-RS

COMPARTILHAR