Homem é preso após tentar matar jacaré com tiro e pauladas

Patram resgatou o animal silvestre em Mostardas e o levou para o Centro de Reabilitação do Ceclimar

Foto: Soldado J. Silveira / 1º BABM

Policiais do 1º Batalhão Ambiental da Brigada Militar (BABM) flagraram um homem tentando matar um jacaré, nesta segunda-feira (29), na área rural da localidade de São Simão, no município de Mostardas, no Litoral Norte. O animal silvestre foi ferido com um tiro na cabeça e com golpes de um cabo de machado.

O crime ambiental foi constatado por uma equipe da Patrulha Ambiental (Patram) de Osório em uma área de banhado, na Lagoa da Reserva. Os militares realizavam ações na região após receberem denúncias de caça e pesca ilegal e abigeato.

De acordo com o 1º BABM, no momento da abordagem, o homem estava batendo na cabeça do jacaré com um cabo de machado.  O animal também levou um tiro na cabeça. Ele havia sido fisgado por um anzol, foi resgatado e encaminhado ao Centro de Recuperação do Centro de Estudos Costeiros, Liminológicos e Marinhos (Ceclimar) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs).

Com o preso, os PMs encontraram um revólver com dois cartuchos deflagrados. Em seu veículo, foram apreendidos uma espingarda calibre 12, munições, um binóculos, uma faca e um facão. A Patram informou que além de não possuir porte das armas, o homem não tinha licença para caça de animais silvestres.

Foto: Soldado J. Silveira / 1º BABM

Na Delegacia de Mostardas, ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma e caça de animal silvestre. Conforme o 1º BABM, a autoridade policial não estipulou fiança e o preso seria encaminhado para a Penitenciária Modulada de Osório.

Jacaré foi medicado e passará por exames

O animal ferido por um caçador ilegal é um jacaré-de-papo-amarelo, de nome científico Caiman latirostris. Ele está em observação no Centro de Reabilitação do Ceclimar, aos cuidados do médico veterinário Derek Blaese e equipe.

Foto: Soldado J. Silveira / 1º BABM

Segundo o profissional, trata-se e um macho com 2,5 metros de comprimento. “Ele tem um tiro na cabeça e algumas escoriações também, o que corrobora com o que a Patram nos falou, que ele levou pauladas”, disse o médico veterinário.

Derek informou, ao Litoral na Rede, que foi iniciado o tratamento de suporte e que terá que levar o jacaré para o Hospital Veterinário da Ufrgs, em Porto Alegre, para a realização de exames. “É um animal bastante rústico, super resistente e ele tem o cérebro bastante pequeno, então a bala não atingiu o cérebro”, informou.

COMPARTILHAR