Madeira apreendida é doada para a construção de casas em aldeia em Maquiné

O carregamento de madeira foi apreendido em Terra de Areia

Índios guarani da aldeia Guyrá Nhendu, de Maquiné, receberam um carregamento de madeira para a construção de casas – Foto: Márcia Londero / Divisão Indígena Seapdr

Índios guarani da aldeia Guyrá Nhendu, de Maquiné, começam a sonhar com uma casa para enfrentar o inverno. Um carregamento de madeira apreendido pela Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) em Terra de Areia foi doado para a aldeia em parceria com a Divisão Indígena e Quilombolas da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr). O trabalho conta com o apoio do Conselho Estadual de Povos Indígenas (Cepi) e da Emater, conveniada da Seapdr.

São 5,71 metros cúbicos de tábuas de garapeira (também conhecida como garapa e jataí-amarelo), 2,95 metros cúbicos de assoalho de ipê amarelo e 2,25 metros cúbicos de resíduos para aproveitamento industrial apreendidos pelo Balcão de Licenciamento Ambiental Unificado – Gerência Litoral Norte da Sema. Outra apreensão feita pela Sema, de madeira cedrinho, também será doada para aldeias indígenas.

Pré-diagnóstico feito pela Divisão Indígena da Seapdr em 2017 revelou que existem cerca de 20 aldeias gaúchas com déficit habitacional preocupante. Os convênios para doação de madeira para a construção de casas nas aldeias começaram em 2017 com uma parceria com o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Uma aldeia foi beneficiada em Santa Maria. A partir deste ano, o convênio está sendo desenvolvido com a Sema.

“A doação desta madeira traduz-se na possibilidade de diminuição desse déficit, trazendo grande alegria para a comunidade guarani que vai realizar, através de mutirão, a construção de duas casas”, afirma a socióloga Márcia Londero, da Divisão Indígena da Seapdr.

No Rio Grande do Sul, existem 51 aldeias guarani.

Fonte: Secom

COMPARTILHAR