Mulher é presa após confessar que matou o filho de 7 anos em Imbé

Ela foi registrar o desaparecimento do menino e acabou confessando o crime; mulher disse que jogou o menino no Rio Tramandaí e afirmou que não sabia, naquele momento, se a criança estava viva ou morta

Foto: Litoral na Rede / Arquivo

Uma mulher de 26 anos de idade, foi presa em flagrante por homicídio qualificado, na noite dessa quinta-feira (29), após confessar na Delegacia de Pronto Atendimento de Tramandaí, que matou o próprio filho, de 7 anos. De acordo com o delegado Antônio Carlos Ractz, ela compareceu na delegacia para registrar o desaparecimento do menino, levantou suspeitas e o crime foi descoberto.

As suspeitas iniciaram quando a mulher informou que teria pesquisado na internet o tempo que teria que aguardar para registrar o desaparecimento. “Ela foi questionada, inclusive por policiais militares que estavam na delegacia, o porquê da mulher não ter procurado ajuda antes, sendo que o menino teria sumido há dois dias. Foi quando, ela disse que teria pesquisado na internet que o tempo que teria que aguardar para registrar o desaparecimento, é de 48 horas”, informou Ractz.

O delegado declarou ainda, que durante os questionamentos ela acabou confessando o crime bárbaro. “A mulher relatou que teria dopado o menino com medicamentos, o colocado em uma mala e foi até o Rio Tramandaí para jogá-lo na água, com o auxílio da companheira. A mala foi encontrada as margens do rio, entre Tramandaí e Imbé. Ela disse que ao jogá-lo no rio, não sabia, naquele momento, se a criança estava viva ou morta”.

Ractz disse que em nenhum momento a mulher sentiu algum arrependimento. “Ela é fria, não o amava. O menino era acorrentado e preso em uma peça de um metro quadrado e até em um roupeiro. Não recebia alimentação, não tinha amigos, não participava de atividades escolares. Apreendemos dois cadeados no local onde residiam. Os cadeados supostamente seriam utilizados para acorrentá-lo. Estamos realizando perícia no local”, explicou o delegado, que já solicitou a prisão preventiva da mulher.

Companheira

A companheira está detida na delegacia. Ractz informou que durante a tarde desta sexta-feira (30), ela passará por avaliação psiquiátrica, visto que, aparentemente tem problemas mentais.

Buscas

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) realiza buscas ao menino. O corpo até o momento não foi encontrado.

COMPARTILHAR