Ocupação das UTIs no Litoral Norte está abaixo de 90%

Apesar de elevada, taxa é a mais baixa desde 25 de fevereiro

Leitos de UTI no Hospital de Tramandaí. Foto: Hospital de Tramandaí / Arquivo

A taxa de ocupação das unidades de terapia intensiva do Litoral Norte do Rio Grande do Sul voltou a ficar abaixo dos 90%. Segundo o mapa de leitos da Secretaria Estadual da Saúde (SES), 89 das 106 vagas em UTIs disponíveis na região estavam sendo utilizadas na manhã desta segunda-feira (12). O número representa 83,9% dos leitos ocupados.

O índice vinha reduzido nas últimas semanas e na sexta-feira (09) estava em 91%. Em março, chegou a 109%, com hospitais improvisando leitos para atender pacientes graves.

A taxa atual é a mais baixa registrada desde 25 de fevereiro, quando 83,6% dos leitos de UTI estavam ocupados. Naquela época, a redução foi provocada pela ampliação das vagas no Hospital de Tramandaí.

Apesar de menos grave do que nas últimas semanas, a situação nos hospitais ainda é de alerta.  O número de pessoas internadas por causa da Covid-19 segue maior do que no final de fevereiro. A redução da taxa de ocupação também é influenciada pelo aumento da oferta de leitos de UTI nos últimos dois meses na região.

Em 25 de fevereiro, quando a taxa de ocupação estava nos mesmos patamares de agora, o Litoral Norte tinha 67 leitos para pacientes graves e 34 pessoas contaminadas pelo coronavírus.  Hoje, são 106 leitos e 78 pacientes com diagnóstico de Covid-19, ou seja, mais que o dobro. Os pacientes com a doença representam 87,6% de todos os internados em UTI.

Entre os dias 8 e 15 de março, a superlotação fez com o que o número de pessoas aguardando leito de UTI na região atingisse o maior patamar. A fila chegou a ter 57 pacientes precisando de terapia intensiva. Na última sexta-feira (09), havia quatro pacientes esperando internação nesse tipo de leito.

COMPARTILHAR