Prefeitura de Capão da Canoa projeta um novo Centro Administrativo e um Centro Olímpico

Projeto de permuta da atual área da prefeitura e do Ginásio de Esportes Otto Birlem foi protocolado na Câmara de Vereadores; segundo a prefeitura, áreas são avaliadas em R$ 29 milhões

O prefeito de Capão da Canoa Amauri Magnus Germano e o secretário de Administração Raphael Machado Ayub, explicaram na noite dessa quinta-feira (29), os motivos que levaram a administração a protocolar, na Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei (036/2021). A proposta de permuta das atuais áreas onde estão localizadas o Centro Administrativo (Prefeitura Municipal) e o Ginásio de Esportes Otto Birlem tem causado polêmica no município.

A permuta é para a construção de um novo Centro Administrativo e para um Centro Olímpico. Amauri Magnus Germano afirmou que o objetivo é ter uma nova estrutura moderna e sustentável, que comporte todas as secretárias e pediu a participação dos moradores. “Não haverá nenhum gasto publico. É uma ideia e nós queremos que a comunidade participe. Isto não será feito amanhã e nem depois de amanhã, isto tem várias etapas. O que queremos pra Capão nos próximos anos?” questionou o prefeito.

De acordo com secretário de Administração, a estimativa é que á área de 4 mil m² onde está localizada o atual Centro Administrativo, dividido em 10 lotes, seja avaliada em R$ 17 milhões. Já a área do Ginásio de Esportes Otto Birlem, que incluí também um estacionamento, é avaliada em R$ 12 milhões. São oito lotes. As duas áreas somadas valem aproximadamente R$ 29 milhões.

Ayub explicou o atual prédio da prefeitura não comporta todas as secretárias e que não é possível construir novos andares ou amplia-lo. “Anualmente a prefeitura gasta 660 mil reais em aluguel. E se somarmos os gastos destes imóveis com a energia elétrica, água, telefone, internet, o valor é de aproximadamente R$ 1,5 milhão. Para reformar o Centro Admirativo, o valor é estimado em R $1,5 milhão. Teríamos que trocar a rede elétrica, o cabeamento de rede, substituir os forros, os telhados, as tesouras de madeira, os pisos, as divisórias e elaborar o Plano de Prevenção Contra Incêndio”, afirmou o secretário, que relatou também, que o gasto em energia elétrica do atual Centro Administrativo é de R$ 120 mil, por ano.

Os números foram apresentados para explicar, segundo o secretário, que o município economizaria com um novo Centro Administrativo e poderia investir  em outras áreas, como saúde e educação. A ideia, que ainda está sendo estudada pela prefeitura, é construir o novo prédio da prefeitura em uma área na parte norte da cidade. “A implantação da Prefeitura de Capão da Canoa, em outra localidade, é também uma forma de fomentar o desenvolvimento da área norte do município, valorizando outras regiões”, afirmou Raphael Machado Ayub.

Imagem: reprodução

O secretário informou também que o atual Centro Administrativo tem  3.198,59m² de área construída e que o novo prédio terá 8.500 m². “Serão duas torres e quatro andares. Uma nova estrutura moderna e sustentável, com energia solar que poderá gerar uma economia de R$ 120 mil por ano ao município e sistema de capitação de água da chuva”, disse.

O secretário justificou também, que quando o Centro Administrativo foi inaugurado em 1992, Capão da Canoa tinha 19.854 habitantes e era o 5° mais populoso da região e hoje são 54.051 habitantes, sendo o município com a maior população do Litoral Norte.

Sobre o Ginásio de Esportes Otto Birlem, Ayub afirmou que a ideia é construir um Centro Olímpico, em uma área de 50 hectares da prefeitura,  localizada ao lado da unidade da Universidade de Santa Cruz do Sul, às margens da Estrada do Mar (ERS-389).

“É um Centro Olímpico que poderá receber competições de nível municipal, estadual, nacional e até Internacional. Um espaço multiuso que possibilite a realização de esportes, competições e eventos, com instalações modernas,  um ginásio que atenda as exigências para a realização de eventos oficiais, redução de gastos com manutenção e reformas e melhoria de acessibilidade”, garantiu Raphael Machado Ayub.

Segundo o secretário, entre 2017 e 2020, o município gastou R$ 580 mil em reparos e reformas emergenciais no Ginásio de Esportes Otto Birlem.

Imagem: reprodução

Próximos passos

Se for aprovado o Projeto de Lei na Câmara de Vereadores, o próximo passo da prefeitura será firmar termo com a Associação Central de Arquitetos e Engenheiros do Litoral Norte (ACAE), para elaboração do termo referencial e abertura de concurso para que engenheiros e arquitetos façam a construção dos projetos.

Posteriormente, haverá discussões com a comunidade para que, depois, seja lançado um Processo Licitatório para a realização da permuta do Centro Administrativo e outro para o Ginásio de Esportes Otto Birlem.

Os vencedores da licitação terão que construir o novo prédio da prefeitura e o Centro Olímpico em lotes que já pertencem ao município.

Somente após a conclusão e avaliação da obra, a área do atual Centro Administrativo e do Ginásio de Esportes Otto Birlem serão entregues aos permutantes.

COMPARTILHAR