Projeto que torna a Pesca Colaborativa do Rio Tramandaí como relevante interesse cultural é aprovado na ALRS

Com a aprovação, o Poder Público poderá fomentar parcerias com entidades e instituições, públicas ou privadas; projeto vai para sanção do governador Eduardo Leite

Foto: Projeto Botos da Barra do Rio Tramandaí / Ceclimar / Arquivo

A Assembleia Legislativa aprovou na sessão plenária desta quarta-feira (30), um Projeto de Lei que reconhece a Pesca Colaborativa entre pescadores artesanais e botos na Bacia do Rio Tramandaí, como de relevante interesse cultural do Estado do Rio Grande do Sul. A proposição é do deputado Zé Nunes (PT), coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Pesqueiro no Parlamento Gaúcho.

De acordo com o parlamentar, com a aprovação, o Poder Público poderá fomentar parcerias com entidades e instituições, públicas ou privadas, visando ao apoio e à promoção de atividades culturais, inclusive, garantindo a segurança necessária ao bem-estar do público presente aos eventos dessa natureza. “Nossa proposta contribuirá para o melhor gerenciamento da Bacia do Rio Tramandaí, assegurando a continuidade da pesca cooperativa entre os botos e os pescadores tradicionais”, avaliou Zé Nunes.

Projeto Botos da Barra

O Projeto Botos da Barra é realizado pelo Centro de Estudos Costeiros Limnológicos e Marinhos da UFRGS (CECLIMAR/ UFRGS), e Campus Litoral Norte (CLN/ UFRGS). O objetivo é o fortalecimento da pesca cooperativa, divulgação de conhecimento científico, monitoramento da população de botos da barra e os impactos do uso da área e a educação e informação ambiental.

Na divisa entre os municípios de Tramandaí e Imbé, os pescadores contam com a ajuda dos botos para a pesca da tainha. A aparição dos mamíferos marinhos é sinal de que os cardumes estão nadando contra a corrente. Os pescadores artesanais de tarrafa, ao perceberem a presença dos botos distribuem-se na margem do canal, e os botos, com sinais característicos feitos com a cabeça, indicam aos pescadores o momento apropriado para o arremesso da tarrafa, facilitando a pesca e a captura do peixe pelos botos, assim os dois se beneficiam”, explica o parlamentar.

O coordenador do projeto, professor do Ceclimar/UFRGS, Ignacio Moreno, comemorou a aprovação do Projeto de Lei que deve ser encaminhado para a sanção do governador Eduardo Leite. “Nossa, é um marco, porque é o primeiro olhar, ou seja, mostrar a importância que essa interação tem para os pescadores, como para os botos. O projeto aprovado, reconhece a pesca colaborativa como algo nosso, de interesse cultural do Estado. Agora teremos uma lei para reforçar a importância que tudo isso tem para a nossa região”, comemorou.

COMPARTILHAR