Supermercados gaúchos garantem abastecimento de produtos

Uma série de medidas para prevenir a propagação do coronavírus também estão sendo adotadas nos estabelecimentos

Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil / Arquivo

A Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) garantiu nesta terça-feira (17), a normalidade do abastecimento de produtos à população e que medidas para prevenir a propagação do coronavírus (COVID-19) também estão sendo adotadas. O presidente da Agas, Antônio Cesa Longo, disse que não há risco de desabastecimento de produtos nos supermercados gaúchos. “É hora de tranquilizar o consumidor, não haverá falta de alimentos ou de produtos de necessidade básica”, afirmou.

Os supermercados estão presentes em todos os municípios gaúchos e recebem diariamente cerca de quatro milhões de consumidores. Uma série de medidas serão adotadas nos supermercados, com o objetivo de refrear o avanço do coronavírus e garantir a segurança de consumidores, funcionários e fornecedores. “A entidade enviará uma cartilha orientando os associados sobre boas práticas operacionais que contribuam para a segurança sanitária dos estabelecimentos” adiantou o presidente da Agas.

As medidas vão desde o reforço na higienização de carrinhos, cestos e checkouts, até a suspensão das degustações em loja e a reorganização do mix de produtos com foco no autosserviço – evitando filas e sobrecarga nos balcões de atendimento de açougue, padaria e fiambreria, por exemplo. “É o momento de todos fazerem sua parte. O supermercado é como uma extensão da casa dos consumidores, e por ser um setor de atividade essencial à população, será muito demandado nas próximas semanas”, reconhece Longo.

Conforme o supermercadista, a ruptura de alguns itens em supermercados maiores, que provocou a sensação de falta de produtos, foi resultado do crescimento atípico da demanda. “Alguns itens registraram em algumas horas a venda programada para uma semana. Por mais eficientes que as empresas sejam, não há como reabastecer as gôndolas nesta velocidade”, explica o presidente da Agas, sublinhando que as empresas têm estoques dos produtos e que em algumas horas o abastecimento é normalizado.

“Não há risco de falta de alimentos nas lojas. A população não precisa se preocupar, já que os supermercados estão preparados, inclusive, para aumentar o abastecimento, caso necessário, como já acontece em datas festivas”, concluiu o presidente da Agas.

COMPARTILHAR