Tramandaí: júri popular condena dupla pela morte de Dejone Rambor

As penas variam de 10 anos e oito meses a 24 anos e dois meses de prisão

Foto: Reprodução Facebook

Dois dos três homens acusados do assassinato de Dejone Cleberson Rambor no ano de 2015, em Imbé, foram levados a júri popular e condenados na 1ª Vara Criminal de Tramandaí.

Carlos Ismael Pereira Lemos terá de cumprir 24 anos e dois meses de prisão em regime inicial fechado, enquanto a pena de Tiago Bertoldi Santos da Silva foi fixada em 10 anos e oito meses. Cassiano Wassen Francisco foi absolvido.

Segundo a juíza Cristiane Elisabeth Stefanello Scherer, Carlos e Tiago tinham plenas condições de entender que a forma com que agiram era ilícita. De acordo com a sentença, os dois não poderão recorrer em liberdade.

Por outro lado, foi determinada a soltura de Cassiano.

Relembre o caso

O assassinato resultou em protestos na cidade.

Os fatos se passaram em um bar, localizado na antiga Avenida Rio Grande, na madrugada do dia 12 de outubro daquele ano. Ao ficar sabendo que estavam tentando matar seu irmão, Dejone pulou por cima de um dos suspeitos para dar fim às agressões. Logo depois, teria levado um tiro de Carlos. Ele chegou a ser socorrido, levado para um posto de atendimento 24 horas, mas não resistiu aos ferimentos.

A vítima, de 30 anos de idade, morava em Tramandaí e trabalhava numa loja de calçados junto da família. O assassinato teve grande repercussão, resultando em protestos na cidade.

 

COMPARTILHAR